Marte, a nova utopia | P3

http://p3.publico.pt/actualidade/ciencia/23987/marte-nova-utopia#.WVtmT0LSaWw.gmail

Advertisements

São Tomé Guide

The beginning. It is almost impossible to sum up São Tomé and Príncipe in a single post. Believe me – I tried. So bear with me, or, if you are short on time, 'fav' this post and come back later. But please do come back. Maybe when your day is too rainy or too cold... Continue Reading →

Sublimação

-- Abra os olhos! Consegue ouvir-me? -- Raios! -- pensei -- Um céu branco, leitoso, num espaço fechado. Pedalara forte, enquanto se pedala de outras coisas se ocupa o pensamento, o vento forte que bate na cara é força de outra coisa. Daí que nos limitemos a estar. Abri os braços para o rio e... Continue Reading →

Bruma de Perdição

No dia em que me viste partir, para lá da barreira que separa o viajante do habitante, um momento de desespero me envolveu. Nesses momentos tendo a fechar-me, cerrar-me num lugar escuro onde possa pensar como sair, como romper esse espaço ambíguo trilhando uma só direção. Agora, meu amor, vejo por que razão não consegui... Continue Reading →

O Rio que deveria existir

No rio de mágoas lavadas, as pessoas costumam acorrer em lamúrios e prantos. Especialmente em ocasião de guerras ou doenças é costume ver centenas de pessoas, mulheres, na maioria, a lavarem seus prantos no pranto da montanha. Dona Dores é uma dessas mulheres. Na madrugada de uma noite fria de inverno foi quando o telegrama... Continue Reading →

Gostava que o Saramago fosse vivo esta semana -- ontem foram os confrontos em frente ao Parlamento amanhã comemoram-se 90 anos desde o nascimento do escritor. Certamente nos diria algo serenamente sábio como: "As pessoas transformam-se em máquinas de ganhar dinheiro. Ou de tentar ganhar dinheiro." Se em vez de dinheiro se falasse em liberdade,... Continue Reading →

esboço

Ontem sonhei que tinhas morrido, meu amor. Vivia num outro tempo enrugado em mim, cara de socalcos. Apanhei o primeiro avião de um outro país para encontrar a tua amiga:- "Ela morreu não havia nada a fazer. Já estava muito doente." Doente? Tão pouco sabia que estavas doente. Se abateu o céu com mil pesos, esmagando-me... Continue Reading →

Adriana Xavier

Daqui por vinte ou trinta anos, se me for permitida exigência, sei que vou recordar este momento. A luta de um povo unido é uma manifestação de felicidade. Ela faz mais sentido que as contas e as finanças do estado, ela é a razão, o caminho.  Quando este dia acabou regressei a casa muito cansado... Continue Reading →

A Mulher do Sal

É do sal que salga o peixe que dona maria faz vida. Hoje o barco antecipou as seis horas e dona maria saiu cedo da outrora menos mágica Alfama. Seguiram-se as ruas. As ruas dos domingos e das segundas até aos sábados. São as ruas dos Remédios, do Cais de Santarém e, não fosse a antecipação... Continue Reading →

Blog at WordPress.com.

Up ↑